55 11 999152290

preço da terapia
Muito talento e muita dedicação são necessários no esporte profissional e em qualquer outra área que viva de excelência de performances.

O esporte de alto rendimento, hoje em dia, é desenvolvido sobre bases tecnoógica e multidisciplinar extremamente sólidas.

A ciência consegue precisar quem são os talentos e como desenvolve-los para que seja atingida a performance máxima.

Cada vez mais os métodos de treinamento apresentam o passo-a-passo da construção de campões.

A alimentação adequada, a farmacologia a ser ministrada, as cargas de treinamento, o controle do stress, métodos de prevenção e cura acelerada de lesões, planejamentos extremamente detalhados em seus aspectos de macro e micro ciclos.

E salvo alguns nichos, o acesso as tecnologias de treinamento são cada vez mais globais. O jogador de cricket indiano tem o mesmo tratamento sofisticado que o jogador de futebol da série A do Brasileirão.

E a indústria esportiva sabe que trabalhos de preparação e formação de atletas serão coroados com êxito.

Países como a Alemanha e a França, tiveram políticas de desenvolvimento de talentos e formação de jogadores de futebol aplicadas, e isso tem se evidenciado nas últimas copas do mundo.

 Assim, melhores políticas esportivas,  melhor preparação médica, melhores laboratórios, maior aporte de financiamento, melhor controle sobre as variáveis biológicas do planejamento dos ciclos de treinamento, e nada mais se faz necessário, a vitória e os recordes são atingidos.

Sim, é verdade. Com  a adição de um elemento mais, apenas.

Pois para que o atleta se submeta ao esforço de treinamento necessário, para que todas as variáveis que a  ciência calcula sejam aplicadas, fatores psicológicos são decisivos, o querer do atleta tem que existir. E esse querer nem sempre é tão constante e estável quanto desejaria  a fria ciência.

Portanto, é necessário um trabalho, um acompanhamento de um psicólogo do esporte, desde os tenros anos de formação dos atletas, até os grandes eventos esportivos mundiais

Tanto quanto é necessário desenvolver-se em diferentes fases da formação de um atleta certas características físicas que possuem períodos críticos para seu desenvolvimento, é necessário a presença de um psicólogo do esporte durante os anos em que o atleta se forma, que são tão ou mais importantes que os anos de ápice esportivo do atleta.

O trabalho de psicologia esportiva é potencializado quando aplicado na fase de formação de atletas: torna-se preventivo. Indo mais além, de um trabalho de correção de curso, quando as intempéries da vida tiram o foco do “querer” do atleta.

A variável menos constante que se tem dentro de um programa de planejamento de treinamentos no esporte é exatamente a variável psicológica.

O fator mais imprevisível é o fator psicológico.

Portanto, é necessário ter sempre presente o trabalho de psicologia do esporte sendo desenvolvido em todas os cenários de preparação esportiva profissional.

Há um momento em que a preparação em seus aspectos objetivos – alimentação, farmacologia, planejamento, mesmo na metodologia ou capacidade potencial dos talentos – se iguala. Então em que seara se decidirá a contenda, a luta, o jogo, a prova?

Na esfera psicológica, na esfera da superação, da motivação, na chamada “genialidade” – que de fato é um ser humano mais motivado, melhor trabalhado emocionalmente, mais confiante, preparado para não desistir, que é capaz de dar aquele pouco a mais  que parece impossível, e que faz exatamente:  toda a diferença!